quarta-feira, 9 de maio de 2012

ComoVer Curitiba

https://lh4.googleusercontent.com/-Wc1dT8y7GoQ/T6rIjrF7C4I/AAAAAAAACRY/g0J2eqwHj0w/s512/comendador%2520araujo.jpg


O método de pinturas por camadas desenvolvido no projeto ComoVer Curitiba obedece a uma seguência de ações que serão realizadas por todos os artistas consequentemente. Em todas as ações todos trabalharão em todas as telas.

Cada obra terá sido feita com a participação de todos os membros do grupo. Esse método ou prática permite o trabalho de vários agentes em ação. Isso abre caminho para a participação de mais pessoas, crianças e não artistas. O que possibilita a realização de oficinas em cima da tela previamente “preparada” pelos artistas.

Aos artistas cabe a função de iniciar o processo de pintura por camadas, além de pintura a experiência se estende à gravura e à “frotagge”. A proposta é fazer uma imagem hiper-realista da calçada, para que sobre essa se faça camadas de interferência, nas oficinas, por outros agentes.
Aos participantes das oficinas cabe a intervenção feita com o tema “ Brincadeiras de rua”.



Paisagens do tamanho natural, pintadas por camadas: Petit pavês, “frotagge” da impressão digital de Curitiba. Entre as pedras, a mistura de terras do interior. Pegadas, o carimbo da bicicleta. Flores de ipê ou jacarandá assim como folhas de ficus, coquinhos e pinhões jogados no “chão” dão o mote poético. Essa pintura é também coletiva e participativa. Pintura de topo. A sombra de um pássaro no chão ao lado da sombra de uma pipa (papagaio, setra) sugere a harmonia do homem com o vento. Dando solidez poética à proposta geral: ComoVer.

https://lh3.googleusercontent.com/-R9QPm4bWZBs/T6rIckomjdI/AAAAAAAACRQ/cUx1fHVgwu8/s512/bar%25C3%25A3o%2520com%252015.jpg

Nenhum comentário:

Postar um comentário